Intercâmbio de Inglês em Dublin

Depois de meses de expectativa e posts pré-intercâmbio, chegou a vez de contar as minhas vivências e impressões sobre o meu intercâmbio de inglês em Dublin.

Como foi meu intercâmbio de inglês em Dublin

No geral foi tudo muito bom! Não me arrependo das minhas escolhas, mesmo as que pareceram erradas em algum momento, por outro lado trouxeram coisas boas.

Escola

Acho que a escolha pelo Emerald Cultural Institute foi uma boa. Não tenho como comparar com outras escolas, porque não frequentei mais nenhuma. Mas conversando com as pessoas que dividiam a casa comigo, achei que a minha escola dava mais atividades extras, bom para nerds. Porém, também me pareceu que isso depende dos professores.

As aulas são divididas em 2 períodos. O primeiro das 9h as 11h é aula de gramática com muitos exercícios escritos e provas. O segundo período das 11h20 as 13h20 é para desenvolver habilidades de escrita, escuta e fala. São professores diferentes.

Todas as tardes tinham atividades como filmes, palestras e passeios. No sábado e domingo haviam excursões de 1 dia, com custo extra. Participei de uma delas, mas não foi nada muito específico da escola e nenhum dos meus colegas foi, então não interagi muito. Acabei falando com um outro brasileiro que também estava sozinho e nem era da escola.

A localização da escola é bem afastada do centro, enquanto que quase todas as outras são centrais. Isso acaba dificultando um pouco os passeios e os meus almoços também ficaram restritos à escola para não perder muito tempo. Eu sempre tinha que voltar ao centro de ônibus para depois pegar um outro ônibus ou trem para outro lugar.

Casa de Família

Escolhi casa de família para ter mais integração com a cultura e conversar mais com nativos, mas a minha casa de família era fake. Me senti em um quartinho alugado, sem uma cozinha completa a disposição e com jantar incluído.

Casas da Emerald

Pelo que conversei com os colegas da escola, as casas de família da Emerald são muito boas, mas todas em um bairro mais afastado do centro que a escola. A Emerald fica no Milltown Park e as casas de família ficam em Dundrum. A minha casa que foi contratada pela agência, ficava perto do Phoenix Park, bem longe da escola. Num primeiro momento até pensei que tivesse que pegar 2 ônibus para chegar na escola, fazendo baldeação no centro, mas depois achei uma linha que passava perto, só precisava caminhar mais um pouco. Então rolou um arrependimento inicial de que devia ter contratado tudo direto com a Emerald, mas também não sei se queria ficar lá isolada em Dundrum e com uma casa de família muito rígida.

Minha casa

Na minha casa, o jantar era deixado em pratos individuais e cada um comia na hora que queria, cada um tinha a sua chave e não havia restrição de horário para chegar e sair. Estávamos em 6 pessoas em um anexo da casa principal, com apenas um banheiro. Como os banhos eram restritos a 5 minutos e apenas à noite, não tinha muita fila para o banheiro.

A limpeza era por nossa conta e ninguém limpava nada obviamente. Ok limpar meu quarto, mas não vou ficar esfregando banheiro utilizado por pessoas aleatórias. A dona da casa recolhia as roupas, lavava e depois deixava espalhado nos sofás, úmidas, tinha que deixar espalhado no quarto para terminar de secar.  Os eletrodomésticos da cozinha eram meio nojentos, tinha muita sujeira e mofo. Meu café da manhã só preparava no microondas (tem uma foto interna da chaleira elétrica no abaixo).

Não tinha fogão então não podíamos cozinhar. O café da manhã disponibilizado era pão de forma, nutella, manteiga, cereais, leite e café solúvel. Eu comprava meu pão (no primeiro dia que vi, o pão que estava lá estava vencido, nunca mais olhei) e frios no supermercado e fazia meus sanduíches. Depois comprava café no Tesco (2 qualquer hot drink) ou na escola mesmo que tinha uma máquina da Nespresso com cápsulas por 1,50.

Até pensei em reclamar com a agência, mas no fim, fiz amigos lá, a gente tinha a nossa liberdade e foi engraçado. Nos divertíamos com a nossas desgraças! Até fizemos festinha com a caipirinha que levei. As comidas também eram sempre uma surpresa, na maioria das vezes não agradável. Frango cozido sem nada ou frango com curry mega apimentado, muita batata de todas as formas possíveis e até uma tortinha de rim (vi no super mercado depois e descobri o sabor). A maioria dos problemas resolvi comprando shoyu e azeite. Tem fotos abaixo e uma exclusiva do único dia que teve salada em 4 semanas.

Arredores da casa, com o ponto de ônibus do 37, era bom para voltar do centro, mas não era o que passava perto da minha escola.

Mais uma dos arredores, a vizinhança era muito bonitinha.

A casa que eu fiquei, o nosso anexo era a portinha do lado.

O quarto que eu dividia com uma outra brasileira que chegou no mesmo dia que eu e que concorda com os meus comentários (foi ela que me mostrou o mofo da chaleira elétrica quando eu pensei em fazer um café). Do lado é a cozinha e a nossa sala de tv.

Fotos de algumas das nossas refeições

 

O único dia que teve lasanha e salada!

O mofo da chaleira elétrica. Quem tem coragem de usar?

Nossa festinha com caipirinha de limão e morango.

Inglês

Acho que de maneira geral foi bom para o meu inglês, várias pessoas elogiaram e fiquei um pouco mais confiante. Fiz a prova e caí numa turma do Intermediate (B1) que estava terminando o livro. No Brasil eu estava fazendo aulas particulares e utilizando um livro do Upper Intermediate. Foram duas semanas com as últimas lições do livro (11 e 12) e uma semana de revisão. Achei esta semana de revisão muito boa e mesmo as das lições foram boas para lembrar alguns conceitos e ganhar vocabulário.

Na semana de revisão as professoras indicaram a mim e a um outro colega para fazermos uma prova para avançar algumas semanas no Upper Intermediate. Depois da prova mudamos da turma que ia iniciar o livro do Upper para uma que estava na lição 8 do livro. Deu uma pena porque eu tinha só mais uma semana e ia me separar da turma que convivi por 3 semanas para chegar numa outra diferente. Mas acho que valeu a pena para ouvir outros sotaques e ter outros professores também, além do certificado de B2+.

Amigos

Acho que a parte mais importante do intercâmbio são os amigos que a gente faz. Em viagens normais fico no máximo uns 4 ou 5 dias em um lugares, então conheço um monte de gente superficialmente. No intercâmbio a convivência é maior, seja com colegas da escola ou com os colegas de casa.

Com a “host family” não criei muito vínculo. A “mãe” só vinha a cada 3 ou 4 dias e conversava uns 10-15 minutos, não adicionei em nenhuma rede social e tenho um número de telefone que nunca usei. Mas os amigos que fiz na casa, estes que valeram a pena passar todo o perrengue de tomar banho em 5 minutos. Na escola também conheci brasileiros no primeiro dia que me fizeram companhia nos almoços ou em alguns dos meus passeios malucos pela cidade. Vou colocar umas fotinhos deles aqui no post, espero que eles não se importem. :-*

Outros posts sobre intercâmbio:

7 comentários

  • Oi Carol!!! Parabéns pelo blog! Excelentes dicas. 🙂

  • Ao ler seu post, tenho uma mistura de lágrimas e risos. Boa parte do que vc descreveu aqui, vivi com você! E concordo 100% com cada palavra. Antes de eu chegar em Dublin, meus pensamentos eram de ficar afastada de brasileiros, pois queria entrar de cabeça no inglês. Daí no caminho da casa, o transfer me informou que já tinha uma brasileira recém chegada na casa. Questionei: Mas como assim? como a agência coloca duas pessoas da mesma nacionalidade na mesma casa?!
    Mas quando pisei naquela casa, a confusão tomou conta da minha cabeça. Daí fomos apresentadas, e uma sensação de alívio tomou conta da minha cabeça. UFAAA! kkkkk Lembro que t disse: que bom que está aqui!
    Quando eu não entendia nada (quase sempre kkkk),olhava pra vc e me ajudava a entender, passava segurança kkkk! e juntamos com os outros estudantes da casa, daí a “quadrilha” estava formada!
    Como eu também te disse, só não pedi pra mudar de casa, pela afinidade muito boa com vcs!
    Cada risada, cada momento, cada história compartilhada! Foi tudo muito bom!
    Hoje tenho saudades de cada dia que passei naquela casa. Das fotos recebidas do jantar (que já davam desânimo kkkk), da surpresa ao chegar e ver roupas estendidas pelo sofá, inclusive roupas íntimas hahahaha! Das tentativas de banhos rápidos, de todos assistindo TV juntos, da festa com caipirinha.
    Hoje só tenho que dizer OBRIGADAAAAAA por toda a ajuda que me deu, mesmo sem perceber, para que eu me fortalecesse e quisesse continuar lá. Viveria tudo de novo sem nem pensar!
    Obrigada de coração!
    Desejo muito sucesso com tudo o que vc fizer na vida, muitas e muitas viagens, muitos momentos bons, muitos aprendizados!
    E um dia ainda vamos nos encontrar e continuar rindo de tudo que passamos lá!

    • Oi Polly! Que lindo seu comentário, eu que me emocionei agora. Depois de tudo que passamos, eu agradeço de ter dividido o quarto com uma brasileira, rs… Obrigada!! E vamos combinar uma prainha com caipirinha em Santos! :-*

  • Jana Indhá Fuerback

    Oii Carol, amei esse post, gostaria de saber por qual agência você foi e se recomenda, desde já, obrigada

    • Oi Jana! Fui com a Time2Travel. Eles são bem atenciosos, o kit de boas vindas é muito legal, mas não gostei desta host family meio fake. Não sei se este é o padrão das agências. Sei que não era o padrão da minha escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *