El Chaltén – 4° Dia – Laguna de los Tres

Deixei para o último dia o que seria a trilha mais difícil. Tinha lido vários depoimentos e sabia que este ia ser o maior desafio desta viagem. E também o momento mais emocionante: ver o Monte Fitz Roy de perto!!

 

Entrada do PN Los Glaciares

 

Trajeto aproximado da trilha (de cima para baixo)

O dia começou horrível, chovendo e ventando muito!! A noite toda foi assim, até acordava com a força da chuva batendo na janela. E ia ficando cada vez mais desanimada com a minha caminhada. Levantei na hora programada, pois tinha um transfer marcado para as 8h30. Conversei com a dona da hosteria e disse para ela que ia desistir da trilha por causa do tempo horrível. Ela comentou que o tempo era instável, que as nuvens estavam baixas então nas montanhas poderia estar melhor e que com o vento forte estas nuvens seriam levadas logo. Ok, se ela tá dizendo… O problema é que a van deixa na Hosteria El Pilar, não é o caso de desistir e voltar na trilha. Se desistisse estaria a 20km da cidade. Mas animei, qual o problema de caminhar na chuva né?
A van estava bem mais vazia do que a que eu havia pego para o Lago del Desierto, acho que o tempo feio assustou muita gente. Na Hosteria El Pilar, descemos em 3 pessoas: eu e um casal totalmente despreparado. A menina de jeans e moleton e o menino de bermuda!!! Sem capa de chuva, sem mochila, o menino parecia ter um saquinho com água e algum lanche… Os vi na primeira hora de trilha, depois nunca mais. Também encontrei um senhor japonês com um guia no começo da trilha e depois mais ninguém. Totalmente sozinha até chegar ao Acampamento Poincenot. Choveu na primeira 1h30 de trilha, depois parou, mas o céu continuou bem carregado de nuvens. Acompanhe nas fotos abaixo a cronologia da trilhas.
Ahhh… Eu estava tão ansiosa por esta trilha que acabei esquecendo a máquina fotográfica!! Todas as fotos são do iPhone. 🙁

 

Glaciar Piedras Brancas

 

Trechos da trilha

 

Estava vindo de El Pilar e seguindo para Lag. de los Tres

 

Na foto abaixo é possível ver a subida para a Laguna de los Tres é aquela marquinha no morro da direita para a esquerda e atrás deveriam ser avistados os cerros, mas o tempo continuava bem fechado. Eu estava no Acampamento Poincenot fazendo um lanchinho e me preparando para a parte mais cansativa da trilha. O pessoal do acampamento saía das barracas espiava, dava uma volta e desistia. Como eu não tinha barraca para voltar, só me restava continuar e torcer para as nuvens se dispersarem.

 

Super animador começar a trilha assim, sem expectativa de ver nada!!

 

Atravessando rio…

 

Placa super animadora…

 

Pedras na trilha…

 

A hosteria El Pilar é laaaaá atrás daquele morro!!

 

Mais umas “pedrinhas” pela frente

 

No meio da subida, lá atrás Laguna Madre e Hija

 

Duas esperanças: final da trilha e céu azul

 

Mas tem mais uma subidinha… De chorar!!

 

E a primeira visão da Laguna de los Tres!!

 

Visão da direita com céu azul!

 

Visão da esquerda ainda com nuvens!

 

E atrás desta nuvem estão os cerros Poincenot e Fitz Roy!!

 

Parei para almoçar e descansar, encontrei uma pedra que me protegesse um pouco do vento gelado, mas que não tapasse o sol (como era meio dia não tinha muita sombra mesmo). Peguei meu sanduíche e fiquei aguardando na esperança de que as nuvens se dissipassem. E não é que elas foram embora mesmo!!! Ainda ficou uma pequena névoa em volta do cume, mas a olho nu eu conseguia ver todo o perfil do Fitz Roy. Emocionante, lindo, maravilhoso, empolgante!!!

 

Cerro Fitz Roy
Foto com menos névoa das dezenas que tirei!! Muito fotogênico!!

 

Depois de uma hora de descanso, hora de descer!

 

Sequencia da trilha de retorno

 

Ainda tem uma plaquinha na entrada da ponte: só 1!!

 

Adorei a cor das pedras no fundo…

 

Laguna Capri ou Mirador? Fui na Laguna e depois voltei para passar no Mirador.

 

Laguna Capri e os cerros encobertos novamente

 

Placa explicativa do Mirador

 

Esta é a visão que se tem do Mirador Fitz Roy, ele fica a 1h30 da cidade, bem mais tranquilo o acesso, apesar de ser uma subida forte (eu só fiz a descida!!)

 

Tinham 3 pica-paus aqui!!! Como eu queria a minha câmera!!

 

Começo da descida para a cidade

 

El Chaltén abaixo…

 

Este aqui é “início” da trilha ao Fitz Roy, como não fiz bate-volta e sim vindo de El Pilar, para mim foi o final!!

Considerações finais

Vá!!! É lindo!! Amei!! Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida de viajante. Vale muito a pena. E nem precisa ser um especialista em trilha ou um atleta. Eu não pratico esportes, comecei a correr depois de voltar de lá, o máximo que fazia era caminhar na praia. Claro, antes de ir, fiz algumas caminhadas longas na praia para ganhar algum condicionamento. Cansei muuuuiiito nas subidas, mas consegui fazer tudo nos tempos previstos, parando para descansar, comer e tirar fotos.

Faz parte dos roteiros:

Veja também:

9 comentários

  • Alan Cativo

    Olá Carol, sou ciclista habituado a terrenos difíceis. Estou pesquisando fazer este com misto de bike e trekking, saindo desde a cidade. Não me importo de empurrar a bike alguns metros. Suponho que a soma de tempo entre pedalar+andar ainda compensa mais que apenas andar. Mas… é uma suposição. Sua opinião vale muito: posso levar minha bike? O que esperar? Grande obrigado pelo relato publicado e sua atenção. Alan

    • Oi Alan,
      Difícil esta sua pergunta, não vi ninguém de bicicleta nesta trilhas. O terreno é bem acidentado com partes de pedras e partes de lama. A subida final até a Laguna é impossível de bike, pois é só cascalho e algumas pedras grandes. Mas você poderia deixar no acampamento no pé da montanha para o ataque final. Tem alguns pequenos córregos com pontes que daria para levar a bike na mão. Se você está habituado a terrenos difíceis, eu diria que é possível. Eu não pararia em pé na bike 5 minutos. Rs
      Carol May

  • Larissa Soares

    Carolina, muito obrigada pelo seu relato. Tem me ajudado bastante em meu roteiro. Só uma pergunta, vi umas fotos onde algumas pessoas fazem esse percurso com a mochilona de 60L+ cheia! Tem que levar a tralha toda mesmo? Ou vc acha que só levar uma mochila de ataque com o basico dentro, comida, agua etc…

    • Oi Larissa,
      A minha mochila é de 30 litros, levei só comida, água, toalhinha e usava também para guardar as coisas que não estava usando, tipo gorro, luvas, cachecol, etc. Acho que só que vai fazendo as trilhas e acampando no parque que leva mochilona. Foi o que vi. 😉

  • Concordo com o José Luiz Gonzales, é preciso bons equipamentos e roupas certas, no site http://www.tcheinverno.com.br/ você encontra roupas femininas e masculinas para esse tipo de viagem, as botas certas para fazer trilhas e gorros, luvas e meias. Espero que tenha ajudado!

  • Eu sempre digo que mais importante que preparo físico é preparo psicológico e bom vestimento/equipamentos (anorak, botas, bastão…)

    El Chaltén é lindo e tive a sorte de pegar dias lindos durante toda minha estadia lá… concordo plenamente que vale muito a pena conhecer esse lugar!

    • Concordo! Fui superpreparada no quesito equipamentos!
      Eu me apaixonei por El Chaltén!! E escrever estes posts foi muito bom. Relembrar de tudo é ótimo.

      • Olá Carolina, vou para El Chalten em março, vamos ficar 2 dias lá, qual passeio me recomendaria para esses dois dias?

        • Carina,
          É muito difícil escolher por outra pessoa, ainda mais sem conhecer. Acho que você deve ver nos posts os tipos de passeios e ver qual combina mais com o seu perfil. Trekking, passeio de barco, andar no gelo… São bem diferentes. Eu não consegui escolher e fiz todos estes. Ainda faltaram algumas trilhas, mas preferia intercalar com atividades diferentes para não cansar muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *