Roteiro de uma semana em Maceió – Alagoas

Da mesma forma que no post sobre Pernambuco fiquei na dúvida se o denominava com o nome do Estado ou da Capital, agora é a mesma coisa. Fui para Maceió, mas conheci várias praias das redondezas (quase que de Pernambuco até Sergipe), também não posso dizer que conheci o estado inteiro (faltou todo o interior). Vamos deixar essas denominações para lá e ir ao que interessa.
Maceió

Maceió

Como Chegar
Pegamos um pacote da CVC. Parece que só faço propaganda da CVC, mas sem promoções de passagens, os pacotes da CVC são muito atraentes. Para o Nordeste então nem se fala, pois vôos diretos não são muito comuns e os fretados da CVC são muito cômodos. Acho que dessa vez foi um fretado da Tam, lembro que teve muita turbulência no caminho.
Onde ficar
No Hotel Porto Maceió, o quarto era muito bom e a localização também. Pena que o café da manhã não tinha maravilhas do Nordeste e nos expulsaram cedo do quarto apesar da CVC nos afirmar que poderíamos ficar até a hora do transfer (20h30).
O que fazer
Todos os passeios que estavam recomendados no pacote de 7 noites / 8 dias da CVC. Ainda nos ofereceram no último dia Porto de Galinhas, mas como eu já conhecia, tinha que acordar muito cedo e eu ainda não tinha conhecido a cidade (fora o city tour) preferi não fazer este.
City tour e Praia do Francês

No primeiro dia fomos para o city tour em Maceió e depois Praia do Francês. O city tour foi aquela coisa de sempre. A praia do Francês quase nem vi de tanta gente na areia e cansei de dizer “Não, obrigada!”. Não gostei muito.

Paripueira

No segundo dia fomos para a praia de Paripueira, não fizemos os passeios que estavam disponíveis lá, pois tinha que pagar mais ainda. Resolvemos só ficar na areia aproveitando a água de côco a R$1,00 (garrafa de água mineral R$1,50) e as porções de camarão quase de graça. Ainda comprei umas cocadinhas deliciosas. Nem tenho fotos, pois a praia é bem sem graça. Mas foi relaxante depois da experiência da Praia do Francês.

Dunas de Marapé

No terceiro dia fomos nas Dunas de Marapé, foi o lugar mais bonito da viagem.

Dunas de Marapé

Maré baixa quando chegamos

Dunas de Marapé

Maré baixa

Dunas de Marapé

Riozinho

Maré subindo

Maré cheia (são os mesmos coqueiros da foto “Maré Baixa”)

Encontramos vários destes por lá

Foz do Rio São Francisco
No quarto dia fomos à Foz do Rio São Francisco. Adoro passeio de barco e nessa viagem teve muitos. O mais longo foi este, bem interessante observar as margens do Rio e um guia mirim foi relatando vários “causos” e curiosidades. Confesso que a parte das Dunas não foi muito agradável, achei que fosse derreter e queimar os pés, mas a paisagem era bonita. Depois de derreter tomamos um banho nas águas do Velho Chico, muito gostoso.

Dunas

Nosso barco é o com a proa azul e o mar ao fundo!

Maragogi
No quinto dia fomos à Maragogi. Já tinha ouvido falar muito bem de lá. Mas foi um pouco decepcionante. O tempo estava nublado, fui queimada por água-viva nas duas pernas logo na chegada ao subir no barco e tinha muita gente. A maré subiu muito rápido (ou nós que chegamos tarde?) e com o tanto de gente que estava na água era raro conseguir um pedaço não turvo e com peixes. Consegui ver vários peixes, mas só me afastando para onde não dava pé, o que não me deixa muito confortável. Não tenho fotos porque não tenho máquina a prova d’água.
Praia do Gunga
No sexto dia fomos para a Praia do Gunga. Dizem que é uma das 10 praias mais bonitas do Brasil. Achei bonito, mas não pra tanto. Passeios pagos à parte, tudo caro e o atendimento difícil. E tinham várias mini-água-vivas na água que me deixaram um pouco aflita depois da experiência do dia anterior.
Praia do Gunga

Vista à direita

Praia do Gunga

Vista à esquerda

Um farol

E Maceió
No sétimo dia ficamos em Maceió. Saímos caminhando pela orla desde o nosso hotel (Ponta Verde) até a Pajuçara. Na Pajuçara tem passeios de jangada até as piscinas naturais. O Jangadeiro queria cobrar R$50 o casal, mas achamos um pouco caro e esperamos aparecer mais gente. Encontramos mais um casal e saiu R$15 por pessoa, como eu havia lido na internet. Achei estas piscinas muito mais legais que Maragogi (acho que 90% das pessoas discorda de mim, mas tudo bem). Haviam poucas pessoas e muitos peixinhos. Estava bem rasinho e quentinho. Ficamos um pouco mais de 1 hora e saímos.

Maceió

O que comer
A experiência gastronômica foi boa, muito peixe, camarão, moqueca e tapioca. Eu sou apaixonada por tapioca e na praia em frente ao hotel haviam várias barraquinhas ótimas. A tapioca tradicional custava R$2,50 e era uma refeição.
Os restaurantes da praia da Ponta Verde também não decepcionaram, pelo valor dos pratos achei que ia comer pouco ou porcaria, mas surpreenderam. Nada parecido com os preços de São Paulo.
O que comprar
Vasos e potes de cerâmica na Foz do Rio São Francisco, muito barato R$10 o conjunto com 3 cumbucas. Na cidade de acesso às Dunas de Marapé também comprei uns cestinhos de palha, coloridinhos, muito bonitinhos e baratinhos.
Dicas

Feirinha da Pajuçara: roupas, rendas, redes, etc.

Veja também:

Coqueiro! Foi o que mais vi nesta viagem

5 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *