Suíça – Parte 1 – Cantão de Vaud

Neste segundo post, a Carina vai começar a contar como foi seu passeio pela Suíça.
A Suiça é ridiculamente bonita, parece ter sido montada pra ficar bem na foto. Todos os lugares que passamos pareceram tão seguros quanto ouvimos falar.

Onde ficamos

Escolhemos ficar em Lausanne, que era uma cidade maior e com facilidade de locomoção para os outros lugares. Ficamos no Ibis, nosso único hotel de rede em toda a viagem. O hotel é padrão Ibis, mesmo tamanho de quarto, tipo de banheiro e decoração dos hotéis aqui do Brasil. A localização não era ruim, perto do centro da cidade e da estação de metrô, mas como a cidade é um morro só, cansava um pouco andar da estação até o hotel.

O que fizemos

Fizemos o roteiro do Trem do Chocolate, só que por conta própria. A passeio “oficial” custava Fr. 59 por pessoa, o nosso custou Fr. 24, considerando o desconto do Half Fare Card. A primeira parada é em Gruyére, logo na estação de trem tem uma loja que é ótima para comprar queijos. Fomos andando até a cidade, mas tem um ônibus que sai da estação logo que o trem chega. A cidade é linda, de cartão postal, e parece ser um ótimo lugar para apreciar um fondue, com preços até aceitáveis (Fr. 30 para dois). Além de passear pela cidade (é uma única rua…hehehe), visitamos o Château de Gruyères, que tem jardins bonitos e uma vista bem legal, mas o interior é bem mal cuidado.
Gruyére
Gruyére
Jardins do Chateau Chilon
Jardins do Chateau Gruyères

 

A próxima parada foi Broc, na fábrica da Cailler-Nestlé (estação Broc-fabrique). O passeio é bem legal, principalmente pra quem é louco por chocolate. Tem uma apresentação inicial, contando a história do chocolate, da Cailler e da fusão com a Nestlé, depois um passeio pela fábrica, e no final uma sala para degustação de todos os chocolates fabricados pela Cailler (à vontade mesmo, e pelo tempo que você agüentar). Na saída você pode comprar todos os tipos de chocolate por um precinho um pouco mais camarada, mas se quiser economizar mesmo deixe pra comprá-los num “outlet” que tem ao lado da estação de trem.
Sala de degustação na Cailler-Nestlé
Sala de degustação na Cailler-Nestlé
Todas as embalagens dos chocolates
Todas as embalagens dos chocolates

 

Na volta passamos por Montreux pra curtir o início da noite. A orla do lago é linda, e tem vários bares e restaurantes bem animados. Mas a noite acaba bem cedo, saímos de lá perto das 9 e já tinham vários restaurantes fechados.
Lago Léman em Montreux
Lago Léman em Montreux

 

No outro dia curtimos um pouco a cidade. A Catedral é linda e a vista lá de cima vale a escadaria. Outro ponto bastante visitado é o Museu Olímpico, mas como o tempo era curto, optamos por um passeio pela margem do lago, que vale muito a pena.
Vista da cidade chegando na catedral
Vista da cidade chegando na catedral
Lago Léman em Lausanne
Lago Léman em Lausanne

Dicas

  • As estações de trem e metrô não têm catracas, mas fomos abordados algumas vezes por fiscais.
  • Compramos o Half Fare Card, custa Fr. 99 e dá 50% de desconto em todas as passagens de trem e metrô, inclusive os de montanha que são bem carinhos. Pra nossa viagem valeu a pena, mas é melhor simular todos os trechos no site da SBB pra ver se compensa. Não precisa comprar pela internet (eles até entregam no Brasil, mas demora), pode comprar na primeira estação que parar.
  • Comprei todos os bilhetes internos na hora, não encontrei descontos que valessem a pena na compra antecipada.
  • Mais informações podem ser encontradas em: My Switzerland.
  • Veja também o Roteiro Completo da Carina.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *