Shows de Flamenco na Andaluzia

Fui para a Andaluzia pensando em assistir um ou dois shows de flamenco em Sevilha, nem pesquisei em outras cidades. Mas não é que estou no meu segundo destino e a recepcionista brasileira do meu hotel pergunta se eu não vou assistir a um show numa “cueva de flamenco”. Não fazia ideia de que existiam cuevas de flamenco em Granada. No final consegui ir em 3 shows de flamenco durante a minha estadia de 9 dias na Andaluzia. Vou contar um pouquinho como foi cada um.

 

Ingresso Flamenco

Ingresso do show de flamenco de Granada

Em Granada a única coisa que tinha pesquisado e reservado era a visita à Alhambra. Depois de conversar com a recepcionista, pesquisei um pouco sobre as cuevas, fiz um city tour onde visitei algumas cuevas por fora e decidi que ia tentar ir em alguma. Não fiz reserva porque não queria me preocupar com o tempo na Alhambra, então se desse, eu iria. Como não me programei, não reservei as cuevas famosas, como a que foi a Michele Obama foi da Rocío e também estava um pouco receosa de subir o morro sozinha para ir nas cuevas. Optei por uma sugestão da recepcionista: Le Chien Andalou. É uma imitação de cueva na Calle del Darro. Eu A-D-O-R-E-I!
Como é o show? Conversei com uma moça que é da região e ela me explicou que o Flamenco de Granada é mais duro, mais sofrido e mais cantado. Realmente achei diferente do pouco de flamenco que já vi na televisão e do que tinha assistido em Madri. Não tem muita firula e coisas esvoaçantes. Tinha uma cantora, um homem com violão e uma dançarina ótima. Paguei €8 (agosto/2014).

 

Cueva do Chien Andalou

 

Lotação esgotada

 

Começou apenas com a cantora e o músico

 

Em algumas músicas a dançarina entrava em cena

 

 

Em Sevilha assisti aos dois shows que estavam recomendados neste post do Viaje na Viagem.O primeiro foi na Casa del Flamenco que ficava no próprio hotel que eu estava, então tive um desconto, custava €18 e eu paguei €15. Quer maior comodidade? Comprei os ingressos na recepção e depois foi só descer alguns minutos antes do espetáculo.O segundo foi no Museo del Baile Flamenco que fica junto ao museu. O ingresso é mais caro, mas dá direito a visitação ao museu. Quando fui comprar o ingresso, o museu estava sem luz, ou seja, nada de visitação. Paguei os €20 e não visitei o museu.

O post do Viaje na Viagem conseguiu diferenciar bem os espetáculos, mas acho que isso varia muito com os artistas. O jeitão é o mesmo, eles vão passando pelos diferentes “palos”, os tipos de flamenco. Tem vezes que é mais cantado, em algumas música apenas o homem (bailaor) dança, em outras apenas a mulher (bailaora), em outras tem toda uma encenação dos dois. E na Casa del Flamenco apenas no final é permitido tirar fotos. Gostei dos dois, mas o do Museo me pareceu que os artistas estavam realmente se divertindo ao cantar e dançar. Sabe aquilo de brilhar o olho ao fazer algo que se gosta? Eles transmitiam isso ao público mesmo nos palos mais tristes. Veja umas fotos abaixo, não estão muito boas, pois tirei apenas com o celular.

 

La Casa del Flamenco

 

La Casa del Flamenco

 

La Casa del Flamenco

 

La Casa del Flamenco

 

shows de flamenco
La Casa del Flamenco

 

Museo del Baile Flamenco

 

Museo del Baile Flamenco

 

Museo del Baile Flamenco

 

Museo del Baile Flamenco

 

Museo del Baile Flamenco

Veja também:

2 comentários

  • Carol, eu já estive no Casa del Flamenco e eu gostei muito. To para ir no Museo del Baile qq hora dessas. Aqui em baixo de casa tem um botiquim no qual toda sexte tem 'flamenguito' músicos tocam e o público mesmo dança. divertido. 🙂 Adoro flamenco. Estou animadíssima para ver como será na Feria, em duas semanas!
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *