El Calafate – 4° Dia

Para este último dia em El Calafate não sabia se fazia o passeio ao Cerro Frías ou ao Balcão de Calafate. O pessoal da Argentina4u me recomendou o Cerro Frías e eu aceitei! Até pensei em fazer os 2, pois cada um tem duração de meio dia, mas pareceu ficar muito corrido e eu queria ainda visitar o Museo del Hielo Patagónico – Glaciarium. Preferi “economizar” e fazer só um deles. Escolhi o Cerro Frías 4×4, mas existem também as opções de trekking com tirolesa, cavalgada e mountain bike.
Cerro Frias

O vento mais gelado que já presenciei, doía para respirar

A – Hostal Amancay
B – Cerro Frías
C – Glaciarium

A van passou no hostal e nos levou a Estancia na base do Cerro Frías. Lá, os grupos foram divididos conforme as atividades programadas. Para o 4×4, estávamos em 5 pessoas mais o guia/motorista. Fui no banco da frente e foi bem emocionante, a “estrada” é péssima e a vista é linda. Na subida paramos para comer calafate e observar alguns bichinhos no caminho. A primeira sequencia de fotos foram feitas no topo, ou melhor, do lado do topo, não se chega a parte mais alta do morro. Fui virando para a esquerda e tirando fotos:

 

Lago Argentino

 

Aquela passagem estreita é o caminho para o Glaciar Perito Moreno, a Estancia Cristina também é para estes lados.

 

Lá embaixo é o porto de embarque para os passeios de barco, como o Todos Glaciares.

 

Topo do Cerro, mas não fomos até lá.

 

Descemos por este lado, com as árvores.

 

O Parque Torres del Paine fica para este lado, está vendo as torres?

 

E agora? Fiquei emocionadíssima!!

 

Subimos por este lado, El Calafate está lá embaixo.

 

O nosso 4×4 quase sendo levado pelo vento…

 

Uma vista da Estancia e nosso caminho de descida.

 

Parada para um lanche na sombra e protegidos do vento.

 

Este bosque é muito lindo com as árvores caídas…

 

Caminhamos um pouco para entender como funciona a flora por aqui.

 

Uma clareira bem bonitinha e agradável.

Algumas fotos dos bichinhos que vimos por lá!

Vacas na subida…

 

Os cavalos para a cavalgada

 

Um condor voando…

 

Uma coruja (lechuza) no bosque, fui eu quem encontrei!

 

Uma lebre na mata…

 

Uma lhama (ou vicunha ou alpaca)…

 

E um pé de calafate que estavam beeeem doces!
Voltei para a cidade, almocei e peguei uma van perto da prefeitura que leva ao Glaciarium, este museu fica bem afastado da cidade. Até dá para ir a pé, mas no caminho não tem nada, são alguns quilômetros numa estrada deserta. O transfer foi bem em conta e era pertinho do hotel.
Achei o museu bem legal, tem várias animações, vídeos e narrações explicando a formação dos glaciares. Fala um pouco das expedições, das descobertas, dos estudos. Muito completo. Tem um bar de gelo no subsolo, mas o horário de funcionamento não é compatível com o horário das vans, como estava sozinha e sem transporte, não fui. Mas também não tenho nenhuma curiosidade, me parece meio sem sentido, já tinha visto tanto gelo e glaciares no seus habitats que não entendo o que tem divertido entrar de casaco num bar…
Museo de Hielo Patagónico – Glaciarium

Faz parte dos roteiros:

 

Veja também:

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *