Buenos Aires – Parte II

Esta foi a minha segunda visita a Buenos Aires. Na primeira vez fui com as minhas amigas de faculdade, está tudo relatado neste post aqui. Fui em janeiro, no auge do verão. Por alguns depoimentos que li, achei que poderia pegar um calor insuportável, mas não foi o caso. Estava um calor normal.

 

Plaza San Martin

Como Chegamos

Chegamos de Aerolineas Argentinas vindo de Montevideo. Por que não pegamos o Buquebus? Porque comprei esta passagem junto com outras para Mendoza e ficou muito baratinho.
A chegada foi pelo Aeroparque, o vôo atrasou bastante e desembarcamos pela meia noite. Malas, migração, sono e fila para taxi. Entramos no taxi e dei o endereço do hotel. Sabia que dali para a Recoleta deveria ser uns 20-30 pesos, porém nunca vi um taximetro rodar tão rápido!! E o taxista não parava de falar, acho que para nos distrair. No final deram 60 pesos!! Um roubo! Nas enrolações do taxista, ele contou que viria passar umas férias em Búzios, só fiquei torcendo para que os taxistas aqui também passassem ele para trás. Sei que é feio pensar assim, mas não é muito difícil que aconteça né?
Na volta o taxi deu exatamente 30 pesos.

Onde ficamos

Seguindo as recomendações do Riq Freire e de outros viajantes, procurei um hotel na Recoleta, encontrei uma boa promoção na Decolar e ficamos no Park Chateau Unique Hotel. A diária, com taxas e impostos ficou por US$80. Não sei se todos os quartos são iguais, mas ficamos em um de dois andares. A entrada era pelo andar de baixo, onde tinha uma sala e a escada para o andar superior, onde ficava o quarto e o banheiro. Muito pomposo para os meus padrões. O hall do hotel também impressiona, dá uma olhada no site deles. Já o café da manhã é aquela coisa, croissants doces e salgados, uma geléia ou requeijão, suco e café. Tinha uma cesta com laranjas e maçãs, achei até que era enfeite, mas fazia parte do café. Ah duas coisas ruins do quarto/hotel todo acarpetado e a água do banho era quase impossível de ser controlada, ora fria ora escaldante. Se quiser pesquisar outros hotéis clique aqui.

O que fizemos
Passeamos por vários pontos já conhecidos e mais alguns novos para mim.

Veja o trajeto aproximado no mapinha abaixo. E as fotos a seguir.

 

Galerias Pacífico

 

Galerias Pacífico

 

Catedral
Casa Rosada

 

Obelisco

 

06 Teatro Colón
Teatro Colón

 

Tribunales

 

Praça na Alvear com a Libertad

 

General Alvear

 

Floralis Genérica

 

Floralis Genérica

 

Cemitério da Recoleta

O que comemos

Almoçamos no Brioche Dorée, matamos saudade do esquema de almoço na Europa, pega o lanche das prateleiras, coloca na bandeja e passa no caixa. Fácil, rápido, barato e, por vezes, saboroso.
Jantamos no La Bistecca, fica no Puerto Madero. Achei as carnes macias, mas muito gordas. Tem um superbuffet com queijos, embutidos, saladas, sopas, massas e pratos quentes. A carne você pega na churrasqueira direto com o assador, é bom saber o nome, porque o cara não diz o que tem e é mal-humorado. Ao lado da churrasqueira tem o forno de pizza, você pode pedir também entre algumas opções. Custou $270, o buffet/rodízio para 2 mais uma garrafa de vinho.

O que compramos

Desta vez quase nada, só umas roupinhas na Falabella. Apesar do peso argentino estar superdesvalorizado, a inflação foi grande nos últimos meses e quase não havia produtos com preços competitivos com o Brasil.
Passeamos pela Galerias Pacífico, Pátio Bullrich e Buenos Aires Design.



Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *